Fomento Mulher incrementa produção em assentamento de Itapipoca-CE

13 de agosto de 2019 - 09:02 # # #

Ascom / Aécio Santiago - aecio.santiago@ematerce.ce.gov.br fotos: Edilmo Gurgel

A Associação dos Assentados Fazenda Lagoa de Dentro, cerca de 40 quilômetros da sede do município de Itapipoca, vive uma importante fase no processo de produção das famílias de agricultores familiares, no total de 21 famílias. Através do Projeto Fomento Mulher, 14 mulheres têm acesso a crédito pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), no valor de R$5mil cada mulher, para incremento de projetos como criação de galinha caipira, ovinos e caprinos, bovinos e hortas.

Com assistência técnica da Ematerce, com implementação do NIT (Núcleo de Irradiação Tecnológica), os projetos no Assentamento Fazenda Lagos de Dentro, vem passando por um incremento produtivo e aumentando a participação de todas as famílias. Com apenas dois anos de existência, o assentamento possui uma história de mais de 100 anos, quando era ainda apenas uma ocupação irregular.

Atualmente, além dos projetos produtivos previstos pelo Incra, as lideranças femininas na comunidade têm-se destacado pelo empreendedorismo rural e avançado em ações como a criação de tilápia, a casa de sementes crioula, casa de farinha mecanizada e a mandala com produção de mamão, coentro, cebola, tomate e pimentão orgânicos.

Toda a produção orgânica é conduzida com uso de compostagem natural para o combate, o controle de pragas e doenças. O bioinseticida é feito à base de esterco, leite, farinha, resto de cultura, cal e outros elementos.

Com uma área de concessão de uso no total de 1.151 hectares, as 21 famílias têm cinco anos para começar a pagar pelas terras do Incra e passar a ter o direito ao título da terra. Para a presidente da associação Maria Kelliany dos Santos, 26, a história da comunidade é traçada por muita luta e conquistas, quando seu bisavô chegou à localidade pra trabalhar ainda na condição de escravo em 1916.

Hoje, todas as famílias produzem e tiram seu sustento do que plantam, seja na horticultura, com o tanque de tilápia ou da pecuária de leite, que o irmão de Kelliany, Francisco Wagner Sousa, 31, conhece bem e de manhã, antes das 7h, já está comercializando o leite no Distrito de Betânia, em Itapipoca, a cerca de seis quilômetros do assentamento.

Wagner, responsável pelo manejo capim elefante, vende o leite a R$5 a garrafa e R$2,50 o litro, diretamente na comunidade vizinha ou com o atravessador. Diariamente, são vendidos de 20 a 25 litros de leite. Já a produtora Raimunda Teixeira dos Santos vem comercializando os ovos produzidos por galinhas caipiras a R$0,60 e duas pessoas trabalham com ela na manutenção do chiqueiro. “Dos R$5mil que recebi, três foi para a construção da estrutura em alvenaria e o restante em ração e implementos pra 80 animais. Dependendo do mês, chego a vender R$350 ou mais com o produto”, explica Raimunda, que agora vai investir na criação de suínos.

Autonomia

No Assentamento Fazenda Lagoa de Dentro, a produção é distribuída durante todo o ano com o milho, depois a farinha, o cajá, a cereja, o mamão, o peixe, a cebola, o coentro, a pimenta, são apenas algumas das produções, várias consorciadas, a maioria administrada por mulheres.

Com um poço profundo, com capacidade de seis mil litros d´água e uma cisterna, os agricultores não dependente apenas de uma cultura.

E com o uso da tecnologia, alguns já vendem os produtos por aplicativos de mensagem. “Quase toda semana atendo pedido pelo telefone, de tomate cereja (R$2,50 a bandeja), ovos, cebola e pelo menos uma vez ao dia eu tô sempre despachando”, explica Kelliany. Ela, a mãe e outras mulheres cuidam de boa parte dos projetos, da mandala com a horticultura e a fruticultura consorciadas com a criação de peixe.

As lideranças também não param em relação ao aprimoramento e capacitação, de curso sobre cooperativismo, empreendedorismo rural, mandala, que vem aperfeiçoando todas as atividades e garantindo a participação dos assentados com o apoio da Ematerce. “Aqui na casa de sementes, por exemplo, queremos ampliar a oferta de produtos, melhorar a conservação do solo e garantir mais diversidade nas sementes independente do programa Hora de Plantar”, diz a presidente da associação, animada com o próximo projeto na área de apicultura.

Projeto São José IV

De acordo com o gerente regional da Ematerce do Meio Norte, Zilval Fonteles, está sendo construído um novo projeto de investimento, através do Projeto São José IV (PSJ) para a construção de uma câmara frigorífica e uma casa de polpa. Os valores e os prazos ainda estão sendo analisados por técnicos do PSJ para o começo de 2020.

Fomento Mulher
Em 2017, a Ematerce assinou com o INCRA um Termo de Cooperação Técnica, contemplando as mulheres que residem em assentamentos federais, no Estado do Ceará, com assistência técnica e a elaboração do projeto de fomento, no valor máximo individual de R$ 3mil, agora ampliado para R$5mil O Programa Fomento Mulher de investimento/custeio prioriza as atividades produtivas das mulheres assentadas.

No Ceará, em 2018, o Programa Fomento Mulher, através da Ematerce, atuou em 33 municípios, espalhados por todas as regiões; em 116 assentamentos federais, administrados pelo Incra, e, hoje, contempla 3.237 famílias. Idêntico número de projetos encontra distribuído da seguinte forma: projetos de ovinos, caprinos aves caipiras, suínos, hortaliças, bovinos, artesanato, apicultura, panificadora e corte e costura.

O Programa Fomento Mulher objetiva, especificamente, elevar as condições de melhoria da alimentação e nutrição das famílias, aumentar a renda familiar, elevar a taxa de ocupação das famílias, pelo estímulo à participação da mulher, agregar novos conhecimentos tecnológicos, promover a justiça social e incluir a mulher na cadeia produtiva.